blog, posts

‘Connected Smart Cities’ discute desenvolvimento e soluções para cidades no Recife

A sede do Banco Central no Recife, na Rua da Aurora, recebeu nesta quinta-feira (28) o Encontro Regional Connected Smart Cities – Edição Nordeste. O evento serve para traçar um panorama do desenvolvimento de cidades e discutir soluções para a região, a partir de 70 indicadores que retratam inteligência, conexão e sustentabilidade. Participaram das palestras da tarde desta quinta-feira Roseana Amorim, diretora do Nordeste da rede cidades inteligentes e humanas, Luiz César Neto, secretário Executivo de Ciência e Tecnologia, Carlos Vinícius Frees, representante da Agência Brasileira de desenvolvimento Industrial e Luiz Mariano Júlio, representante do Instituto das Cidades Inteligentes. De acordo com Paula Faria, idealizadora do projeto, esses indicadores permitem um mapeamento das oportunidades de cada município para se transformar em uma cidade inteligente. Eles incluem mobilidade, saúde, segurança, educação, governança, economia, meio ambiente, entre outros. A plataforma Connected Smart Cities foi lançada em outubro de 2014. “De lá para cá nós fizemos alguns eventos e percebemos que precisávamos de um balizador, foi então que criamos o ranking, definimos 70 indicadores e mapeamos mais de 800 cidades”, contou Faria. Ainda de acordo com ela, o objetivo é que com isso as cidades subam um ou mais de um degrau na escala de desenvolvimento a partir do olhar de cidades inteligentes. “Com o cidadão consciente e conectado se consegue aplicar soluções para as cidades com mais facilidade”, completou. Recife De acordo com o Ranking Connected Smart Cities 2015, Recife, Salvador, Teresina, João Pessoa, Aracaju e Fortaleza estão entre as 50 cidades com maior potencial de desenvolvimento no Brasil. Segundo o secretário executivo de ciência e tecnologia da Prefeitura do Recife, Luiz César Neto, a cidade do recife vem se reinventando economicamente através da tecnologia da informação e é essencial no momento um olhar especial às outras cidades com melhores colocações para aprimorar e começar a melhorar as tecnologias da cidade. Outra atitude importante, segundo ele, é incentivar a colaboração das pessoas em procurar serviços modernos para a cidade sair na frente. O projeto #Rec500 da Agência do Recife de Inovação e Estratégia – ARIES vem pensando o Recife nos próximos 21 anos, quando a cidade completa 500 anos. Para comemorar, a hashtag convida as pessoas a fazer com que boas ideias cheguem aos pesquisadores. “Se a pessoa viu alguma coisa que pode ajudar, uma nova tecnologia em algum lugar do mundo, marca com a hashtag #Rec500 e os profissionais podem ver e colocar na linha de pesquisa deles”, explicou Neto. Entretanto, é preciso lembrar que nem sempre uma tecnologia de fora se adequa à realidade do local. Veja a matéria completa em: “’Connected Smart Cities’ discute desenvolvimento e soluções para cidades no Recife“ , FolhaPE.